Dicas práticas para cuidadores de idosos no Inverno

Por Sónia Domingues , 13 de Janeiro de 2022 Envelhecimento


Nestes meses mais frios do ano, os cuidados com o idoso devem ser reforçados, uma vez que os idosos têm mais frio e não aquecem tão facilmente. Esta é uma evidência científica que dá conta que uma célula imunológica situada dentro da gordura do corpo, responsável por restaurar a temperatura do corpo quando ficamos expostos ao frio, vai desaparecendo do corpo, à medida que vamos envelhecendo.


O Inverno e o seu frio constitui uma ameaça séria para os idosos e não deve ser encarada de ânimo leve pelos cuidadores.



Os cuidadores devem ter atenção redobrada com os idoso no Inverno, adaptando alguns cuidados e tendo principal foco em alguns pontos. Com o tempo frio, chegam as constipações, gripes e pneumonias, que podem causar sérios problemas de saúde aos idosos mais fragilizados. Isto pode levar a um agravamento sério do estado de saúde do idoso, podendo mesmo entrar em hipotermia ou ter uma queimadura causada pelo frio. Saiba mais neste artigo Lares Online!



Cuidados práticos para afastar os perigos do Inverno


​Muitos vírus não gostam do calor, daí que no Inverno as doenças virais sejam mais comuns. O tempo frio também é um factor de agravamento de doenças crónicas como asma, bronquite ou doença pulmonar obstrutiva crónica, mas também surgem patologias agudas como as gripes, constipações, a pneumonia e, mais recentemente, a Covid-19. Muitas destas doenças são altamente contagiosas, daí que sejam muito comuns. Nos idosos, estas patologias podem trazer graves complicações e até provocar a morte. Veja então os próximos cuidados práticos, especiais para cuidadores.


Assegurar que o idoso tem as vacinas em dia


Logo no início da temporada fria, os cuidadores deverão ter em atenção para que o idoso seja devidamente vacinado contra a gripe e, também, contra a Covid-19. As vacinas poderão não evitar o contágio, mas atenuam os sintomas causados pelos vírus respiratórios. Todos os anos, antes do Inverno, o idoso deve ser vacinado, sendo da responsabilidade do cuidador aferir que este cuidado essencial não fique esquecido.


Potenciar banhos quentes e rápidos


Para dar banho ao idoso no Inverno, os cuidadores terão de se certificar que a casa de banho esteja a uma temperatura bastante quente, para que o idoso não sinta frio sem a roupa. O banho deve ser mais célere, para que a temperatura corporal não fique comprometida. Os cuidadores devem ter o cuidado de secar muito bem a pele do idoso e hidratá-la convenientemente com cremes apropriados para não ressecar. O idoso deve vestir várias camadas de roupa e um gorro para agasalhar a cabeça para a saída do banho, devido à diferença de temperatura que poderá fazer entre o local do banho e o espaço exterior.


Garantir a hidratação ao longo do dia


No tempo mais frio, o idoso pode reduzir a sua ingestão de líquidos, por não sentir sede. Ainda assim corre o risco de ficar desidratado, o que para uma pessoa com a saúde mais fragilizada pode trazer consequências graves. Os sintomas de desidratação, a que os cuidadores devem estar atentos, são cansaço mental e corporal, vertigens e tonturas, dores de cabeça, e sensação de aumento de temperatura corporal. A opção mais correta será controlar o que o idoso bebe ao longo do dia, para confirmar se aporta hidratação suficiente às necessidades do corpo. A ingestão de líquidos deverá ser à volta de 1,5l a 1,9l por dia. Os cuidadores podem oferecer água, chá ou infusões de ervas, sumos de frutas sem açúcar, sopas, leite, etc., garantindo uma hidratação adequada diariamente durante todo o Inverno.


Não expor o idoso ao frio direto


O idoso não deverá ser exposto prolongadamente ao vento frio, ou à temperatura fria exterior durante o Inverno. Os cuidadores deverão preferir ambientes interiores ventilados para o idoso se manter bem aquecido, afastado de correntes de ar e sem ter contacto com temperatura fria, que pode provocar uma queimadura na pele sensível do idoso. O idoso não apenas sente mais frio, como também arrefece mais depressa e, exposto ao frio, poderá entrar em hipotermia muito rapidamente.


Considerar o aporte ou o suplemento de Vitamina D


A vitamina D é importantíssima para o bem-estar e o sistema imunitário dos idosos. No Inverno, por não estar tão exposto ao sol, o idoso poderá necessitar de um suplemento vitamínico de vitamina D. Este suplemento poderá ser receitado pelo médico de família, a pedido dos cuidadores ou do idoso, sempre que se verifique necessário. Caso não se considere necessário esse suplemento, também poderá ser aportada mais vitamina D ao corpo através da alimentação. A vitamina D favorece a absorção de cálcio no intestino e é essencial para fortalecer os ossos e os dentes. Alimentos como óleo de fígado de peixe, salmão, leite fortificado e ovos são ricos em vitamina D.


Fazer exercícios de alongamento corporal com o idoso


Com a chegada do Inverno, os idosos também podem sentir mais dores de ossos, porque tendem a ficar mais parados e a contrair os músculos devido ao frio. Para os cuidadores, vale tudo para o idoso não ficar parado no tempo frio. Conforme a sua condição física, terão de se adequar os exercícios a realizar, para evitar as complicações que advêm da imobilização.
O idoso poderá fazer exercícios de alongamento corporal com a ajuda de um técnico especializado, e pode também fazer exercícios simples, como fechar e abrir as mãos, esticar e dobrar os joelhos, para melhorar a circulação. Para um idoso em melhor condição física, as caminhadas curtas no período mais quente do dia podem ser uma solução, conquanto utilize roupa adequada ao tempo frio. Calças térmicas, várias camadas de agasalhos, meias quentes e calçado adequado, tapar a cabeça com um gorro, colocar um bom protetor solar e garantir que mantenha os pés secos, são alguns dos cuidados a ter.


Manter as atividades sociais 


Cuidar do idoso no Inverno não significa fechar o idoso no Inverno. Apesar de o idoso ser mais sensível ao tempo frio e necessitar de mais cuidados, os cuidadores não devem ceder à tentação de limitar as atividades quotidianas a que o idoso está habituado. É essencial que o idoso mantenha as atividades para que continue a ser estimulado física e cognitivamente. As atividades sociais também devem ser continuadas, são elementares à condição do ser humano, em qualquer idade. Por isso, ele não deve ser impedido de se encontrar com o seu círculo de amizades, ou de realizar atividades de índole social e cultural. Apesar de exigir mais cuidados, estas práticas devem permanecer, sob pena do idoso não estar a viver, mas apenas a sobreviver. 



​Potenciar espaços quentes com ventilação adequada


Espaços quentes mas arejados diminuem prevalência de doenças respiratórias. O idoso deverá estar em espaços aquecidos, mas com ventilação adequada, para evitar este tipo de perigos. Sempre que possível, os cuidadores devem assegurar-se de que o espaço tem luz solar a entrar pelas janelas, para que o ambiente fique mais naturalmente aquecido e para que haja reposição de vitamina D. Cuidado com os dispositivos utilizados para aquecer o espaço. A cada Inverno vemos notícias de más práticas na utilização de fornos de lenha ou lareiras de forma irresponsável. É importante ter cuidado com chamas, e também com os dispositivos elétricos como aquecedores ou termoventiladores.


Cuidados específicos no Inverno para o idoso acamado


Ao contrário do que poderia ser do entendimento geral, o idoso que está acamado poderá estar mais propenso a sintomas de hipotermia, apesar de estar numa cama com cobertores. O idoso acamado também é mais propenso a doenças respiratórias, por passar muitas horas deitado. No tempo frio, os cuidadores deverão ter especial atenção ao idoso que se encontra nesta situação, uma vez que a sua saúde é frágil e poderá piorar com a chegada do frio, caso não se acautelem os cuidados necessários.

Os cuidadores deverão então estar ainda mais atentos com a chegada do Inverno. Deve colocar o quarto numa temperatura agradável para alguém que se encontra imóvel. O cuidador deve verificar mais vezes se o idoso se encontra seco, uma vez que a humidade pode fazer a temperatura de um corpo fragilizado baixar. Deverá vestir o idoso com roupa quente, de flanela ou outro tecido quente e confortável, calçar-lhe meias quentes e suficientemente longas, para cobrir as pernas, pelo menos até aos joelhos. Pode até colocar-lhe um gorro, porque muito do calor corporal se perde pela cabeça, e verificar frequentemente a temperatura corporal com um termómetro.

O cuidador pode ficar tentado em não levantar o idoso várias vezes ao dia, por causa do frio, mas isso pode causar mais problemas respiratórios. Também é necessário verificar se não existem feridas ou escaras, e movimentá-lo ao longo do dia. Assim, deve levantar ou colocar o idoso numa posição sentada, várias vezes. Cuidando que a temperatura do quarto esteja muito amena, é importante cobri-lo pelas costas com uma manta, para que o idoso se mantenha bem aquecido.  


​Procura um lar que responda ao agravamento da saúde do idoso? 

basta submeter um pedido ou ligar 939 667 800.

When visiting our website, you acept the cookies we use to improve your browsing experience.

 

Help?

+351 939 667 800