A magia do Natal num lar de idosos: é possível!

Por Joana Marques , 18 de Dezembro de 2020 Lares e Residências


Já perdemos a conta às vezes que ouvimos dizer a frase «este ano o Natal vai ser diferente», que se transformou numa espécie de mantra coletivo que entoamos para estarmos preparados para o facto de talvez nem haver um Natal digno desse nome. No entanto, há mais vida além da Covid-19 e todos, em especial os idosos, merecem viver plenamente o espírito natalício!


Nos lares para idosos, este Natal não pode passar despercebido! Nesta época, é preciso celebrar a vida e a esperança no futuro.



Sabia que o Natal num lar de idosos pode ser uma experiência inesquecível? Num ano em que os idosos se sentiram isolados e ameaçados por causa do novo coronavírus, falamos-lhe da forma como as equipas dos lares se estão a esforçar ao máximo para garantir que “este” Natal continue a ser a época mais mágica e maravilhosa do ano.



Pode ser mais seguro o idoso passar este Natal no lar?


Devem-se ponderar muito bem os prós e os contras de retirar o idoso do lar para que ele passe o período das festas com a família. É certo que os mais velhos estão saturados após meses nos lares, devido à Covid-19, mas uma saída nesta altura pode colocar a vida do idoso em risco. A situação pandémica incentiva a que os idosos fiquem nos lares, onde é mais seguro. 


Fale com o lar e com o seu familiar idoso e veja o que é preferível: festejar o Natal no lar ou junto da família.



Algumas famílias poderão sentir que não se vai cumprir a tradição devido à ausência dos mais velhos, mas e se os mais velhos preferirem passar este Natal no lar? Para muitos idosos esta não é uma situação inédita e nem todos conseguem ou têm ânimo para estar com a família nesta altura, seja por causa da distância ou por questões de saúde. Preferem, aliás, resguardar-se devido à Covid-19.


Nem todos os lares têm quartos suficientes para que os idosos façam a quarentena obrigatória após a saída. 



Os lares têm um número limitado de quartos de isolamento (e até podem só ter um!) e não seria justo haver uma escolha entre os idosos que poderiam ir para casa da família e os que teriam que ficar no lar.


Há muitos idosos que gostam de passar o Natal no lar, confortáveis no seu ambiente e rodeados da segunda família: os outros residentes e as funcionárias.



É frequente as pessoas muito idosas preferirem permanecer no lar, um ambiente ao qual estão habituadas, e encararem uma saída no período do Natal como um perigo e aborrecimento: não querem apanhar frio, não gostam de ficar acordados até tarde, ficam agitados em ambientes com muito barulho e temem aborrecer os familiares com as suas «manias» numa noite tão festiva. Tente perceber junto do seu familiar idoso como é que se sente e faça-se sentir presente, através de telefonemas e do envio de pequenas lembranças.

O Natal num lar de idosos pode ser mágico e inesquecível!

 
Em tempos de pandemia (ou não), o Natal dos idosos deve ser sempre celebrado com muita alegria e entusiasmo, e não é porque é passado num lar que não pode ser um momento mágico e divertido, passado com quem consideram ser a sua segunda família!


Num lar, celebrar o Natal é um pretexto para reviver a magia e uma oportunidade para criar novas memórias com as pessoas com quem os idosos passam os dias.



Depois de um ano marcado pela Covid-19, o cansaço e a ansiedade afetaram idosos e funcionários. O empenho na criação de um ambiente festivo e natalício é uma lufada de ar fresco para todos. Não devem faltar as decorações, a música, as atividades, os pratos típicos da época e a troca de presentes.
 


5 Sugestões para recriar a magia do Natal no lar


Nesta época do ano é natural que entre os idosos se intensifiquem os sentimentos de solidão e tristeza, que já se tinham agravado devido à situação pandémica.


A magia do Natal num lar de idosos espalha-se através da partilha e da companhia.


A melhor prenda que o lar pode oferecer aos seus utentes neste Natal é a recriação de um ambiente cheio de brilho, que invoque boas memórias e proporcione momentos de confraternização. 


1 - Decorar o lar a rigor


O Natal é uma festa e não existe nada mais festivo do que as decorações, que quanto mais “pirosas” e coloridas forem, melhor! A presença de pais natais, fitas decorativas, grinaldas e luzes é uma forma simples de estimular os mais velhos, especialmente os que sofrem de algum tipo de demência.



Não podem faltar a árvore de Natal e o presépio, que devem ser montados num local de pouca passagem, para não dificultar a limpeza.


 
Uma excelente ideia para envolver os idosos e ajudá-los a entrar no espírito natalício é promover atividades psicomotoras relacionadas com o Natal. Imagine-se a alegria e o orgulho dos idosos ao verem a árvore de Natal ornamentada com os enfeites que eles próprios fizeram. 
Esta atividade reforça a auto-estima e estimula a atenção, a memória recente e episódica, a capacidade de fazer escolhas, a coordenação motora fina e a socialização.


​2 - A magia da música e o seu poder curativo


É impossível ficar indiferente quando se entra numa divisão onde está a tocar música de Natal. Basta fechar os olhos enquanto se ouve a música “Noite Feliz” ou o “Jingle Bells” e somos transportados para as memórias felizes de natais passados.


As memórias musicais são as que duram mais tempo e a música proporciona inúmeros benefícios aos idosos, especialmente os que sofrem de demência.



Os corações dos idosos ficam mais cheios e reconfortados se houver música natalícia ambiente na sala de convívio, durante as refeições ou enquanto decorrem as atividades socioculturais. Quem sabe se espontaneamente se forma um pequeno coro de cantares ou um momento de dança.
A música promove a união e uma sensação de bem-estar que permanece. Sabe-se que diminui a dor, porque o estímulo sonoro desvia a atenção do idoso das suas dores e limitações. 


​3 - Os rituais e as atividades


Natal que é Natal não dispensa rituais. Montar a árvore de Natal, armar o presépio e participar no amigo secreto são alguns exemplos. Num lar, os idosos têm graus de dependência e capacidades cognitivas diferentes. Mais do que ter a árvore, o presépio ou o presente perfeito, é a oportunidade que é dada a todos de contribuírem na construção do espírito do Natal à medida das suas capacidades.


Pode-se fazer uma tarde de cinema com filmes alusivos ao Natal, seguida de um lanche com bolachas festivas.



A Covid-19 limitou o tipo de atividades realizadas num lar, mas as atividades devem ser adaptadas às circunstâncias e ao espírito da época. As atividades  são, acima de tudo, uma excelente forma de promover o convívio entre todos.

Existem ocupações fáceis de implementar, como uma tarde de cinema com filmes alusivos ao Natal, seguida de um lanche com bolachinhas. Estas bolachas, em forma de estrela, bonecos de neve, árvores de natal ou mesmo corações, podem também ser feitas com os idosos, criando um atelier de culinária temático. Optar por puzzles com imagens natalícias também é outra forma de entreter os mais velhos, que até podem tentar resolvê-los a pares.



4 - A magia das tradições na Ceia de Natal


A Ceia de Natal é o culminar de semanas de antecipação. Os pratos da consoada variam de acordo com as raízes de cada idoso e esta é uma oportunidade para todos partilharem entre si quais os pratos tradicionais nas suas famílias. O cardápio deve ser adaptado às necessidades nutricionais dos mais velhos, mas numa noite tão especial pode haver alguma indulgência, desde que os excessos sejam compensados depois das festas.


Durante as semanas que antecedem o Natal, os idosos podem ser incentivados a relembrar quais as suas receitas favoritas.



Como os olhos também «comem», a mesa deve ser decorada de acordo com as iguarias que por lá vão passar. Uma toalha em tons dourados, vermelhos e verdes, guardanapos a condizer e alguns castiçais com velas acesas é quanto basta para que todos saibam que aquele jantar é mais especial do que as refeições do dia-a-dia. Ainda assim, o ideal é conseguir reunir os idosos à mesa e celebrar essa noite de paz e amor.


5 - A troca de prendas é um miminho que atinge o coração em cheio


À medida que envelhecemos, as prendas vão perdendo os seus poderes mágicos, razão pela qual se diz que o Natal é para as crianças, que vibram de felicidade quando chega o momento de desembrulhar os presentes. Ainda assim, uma prenda é outra forma de dizer ao outro: «lembrei-me de ti» e «és importante para mim».

O ideal é reservar o dia 25 de Dezembro, o dia de Natal por excelência, para realizar a distribuição das prendas. Se foi implementado o amigo secreto, então comece-se por aí!


Os presentes dos familiares devem ser entregues no lar com antecedência e por embrulhar. Por segurança, é preferível que os embrulhos sejam feitos no lar.



Falar com a família e amigos, por telefone ou videochamada, é uma excelente forma de preencher a tarde do dia de Natal. Depois de tanta animação nas semanas anteriores e de uma ceia de comer e chorar por mais, é chegada a hora de partilhar essas lembranças com a família. Certamente, o idoso também vai querer saber como foi o Natal dos seus familiares e amigos, falar com os netos e saber se eles gostaram dos presentes que receberam.



Há magia no Natal num lar de idosos!


Durante esta fase pandémica, a interação com a família deve ser incentivada em todos os momentos (especiais ou não). Sugere-se, aliás, que todos os preparativos sejam fotografados e filmados e partilhados com a família. Essas imagens são o testemunho de que existe magia no Natal nos lares e que os sorrisos que transparecem desses instantâneos são genuínos e um bálsamo para a alma!



​Encontre um lar dedicado aos idosos

basta submeter um pedido ou ligar 939 667 800.

When visiting our website, you acept the cookies we use to improve your browsing experience.

 

Help?

+351 939 667 800