Problemas dentários na saúde dos idosos

Por Daniel Carvalho , 14 de Outubro de 2019 Longevidade


​Os cuidados de higiene raramente aparecem no topo de prioridades dos problemas de saúde dos idosos. Problemas como a demência ou dependência tendem a ter maior destaque, no entanto o cuidado bucal deve ser tido em conta, desde sempre. Na verdade, a má higiene oral é umas das causas para o desenvolvimento de muitas doenças.


Perder os dentes com a idade não é inevitável. A dentição está preparada para resistir à velhice, sendo possível manter uma higiene oral exímia até ao fim de vida. A informação disponível é abundante e a odontologia cada vez mais acessível. Ainda assim, a realidade mostra-nos que a higiene oral dos idosos está longe do pretendido. Idosos sem carência de dentes e com hábitos de higiene são exceções à regra.


O recurso às próteses dentárias é uma solução comum. Uma solução de reação e não de prevenção. Este artigo serve assim como guia de prevenção para uma boa higiene oral nos idosos. 



Principais sintomas das doenças orais



​Inflamação ou sangramento das gengivas


Gengivas saudáveis são vitais à saúde dos seus dentes. A evolução da doença das gengivas começa com a acumulação de placa bacteriana. Esta placa pode deixá-las avermelhadas e inchadas. Estes são os primeiros sinais da gengivite. Se esta não for tratada poderá levar à segunda fase que é irreversível: a periodontite. Esta é a grande responsável pela maior parte da queda dos dentes nos idosos.


Desintegração dos dentes


Com o avançar da idade, o desgaste regular dos dentes pode resultar na redução do esmalte. A perda de esmalte dentário é permanente e detectar uma doença relacionada a este sintoma é uma tarefa complicada. Sem detectar uma doença torna-se difícil aplicar um tratamento, o que poderá resultar na rápida degradação dentária nos idosos. 


Feridas na boca de forma recorrente


Ter feridas na boca de forma periódica não é alarmante. Mas se as feridas não desaparecerem depois de algumas semanas, é necessário recorrer a um dentista para uma avaliação, especialmente se nos estivermos a referir a idosos. Feridas persistentes na boca podem ser um forte indício de cancro oral.


 

As doenças mais comuns na saúde oral dos idosos



​Cárie Dentária

Os dentes são cobertos na totalidade pelo esmalte. Todos os dias, uma fina camada de bactérias (placa bacteriana) acumula-se nos dentes. Com o tempo, as bactérias podem causar buracos no esmalte. A este fenómeno atribuímos a denominação de cárie.

As cáries afetam quase 90 por cento da população. Geralmente são associadas a uma alimentação desequilibrada e a uma higiene oral deficitária. Em situações extremas, a cárie dentária pode originar infecções de extensão variável e que podem ter graves repercussões na saúde geral do idoso.


Periodontite 


A periodontite é uma infeção bacteriana do conjunto dos tecidos, ligamentos e ossos que rodeiam e apoiam os dentes.

É a fase mais grave da doença gengival. Uma vez o idoso sofra de periodontite, é irreversível e levará à perda permanente de dentes. A periodontite requer tratamento obrigatório de um dentista.


Cancro Oral


O cancro oral é um conjunto de tumores malignos que afectam qualquer localização da boca, dos lábios à garganta. A sua localização mais comum é no pavimento da boca, no bordo lateral da língua. O cancro oral tem uma taxa de sobrevivência muito baixa, muitas vezes porque os sinais de alerta são detectados numa fase já avançada da doença. Isso significa que os auto-exames regulares e as visitas ao dentista são imprescindíveis para detetar a doença, antes que ela progrida para fases mais avançados e mortais.



Cuidados a ter para uma boa saúde oral


Quando o idoso não possui uma boa saúde oral, o risco de agravamento de doenças ou surgimento de novas é enorme. A melhor forma de tratamento é mesmo a prevenção. Para tal, é necessário adotar um conjunto de hábitos que irão escudar o idoso contra doenças orais com risco elevado de fatalidade.


Na saúde oral não existem fórmulas mágicas, as dicas apresentadas pelos dentistas são simples.


Faça uma dieta equilibrada

Deve ser simples, variada e equilibrada. Evitar comer doces fora das horas das refeições, especialmente se nos estivermos a referir a idosos.



Escove os dentes regularmente

Escovar os dentes diariamente, no mínimo duas vezes por dia, sendo imprescindível que uma delas seja à noite, antes de o idoso ir dormir. Complemente a utilização da escova com o fio dentário, é essencial para remover bactérias em cavidades de difícil acesso. 



Troque de escova periodicamente

Usar uma escova de dentes com filamento de textura macia; é um objeto pessoal e intransmissível. Deve ser renovada a cada 3 meses.

Dica: sempre que mudar a estação do ano, mude de escova. Assim, não haverá desculpas para o esquecimento.



Opte por um dentífrico recomendado

Utilize um dentífrico (mais conhecido por pasta de dentes) com flúor. Este elemento torna os dentes mais resistentes e contribui para a prevenção da cárie dentária.



Higienize a prótese dentária

A utilização de prótese dentária é uma opção recorrente para os idosos com carência de dentes. À semelhança dos dentes, é necessário escovar a prótese diariamente com uma escova própria e sabonete neutro.



Consulte o dentista regularmente

Idosos com carência de dentes naturais também precisam de ir ao dentista regularmente. Estes devem continuar a ter uma rotina regular de limpeza dentária e visitas ao dentista. Essas limpezas periódicas devem incluir uma triagem completa para sinais de infeção.



Prevenir é o melhor remédio


Na terceira idade, o risco de problemas orais tende a aumentar em função da perda de condição física. Consequentemente, a perda de condição física leva a uma diminuição da habilidade para realizar os cuidados de higienização oral.


Tendo isto em conta, não existe melhor recomendação se não a prevenção: por um lado, consciencializar cada vez mais os idosos para os problemas associados à saúde oral e por outro providenciar ferramentas de apoio que lhes permitam realizar uma boa higienização, sem grandes constrangimentos.



​Procura Lares e Residências para Idosos?

Saiba se há vagas disponíveis | Ligue 939 667 800 

When visiting our website, you acept the cookies we use to improve your browsing experience.

 

Help?

+351 939 667 800