Lar de idosos português conhecido em todo o mundo como caso de sucesso

Por Susana Pedro , 16 de Abril de 2019 Notícias

«Multiplicar a felicidade, dividindo-a» é o lema do Centro Comunitário da Gafanha do Carmo, em Ílhavo (Aveiro), que tem como missão proporcionar aos idosos um dia-a-dia feliz e positivo, repleto de gargalhadas, brincadeiras e atividades pouco usuais nos lares de idosos do nosso país.


A filosofia é simples: «É mais fácil trabalhar num lar com pessoas felizes do que o contrário, acreditem que é muito melhor para todos! Isto funciona exatamente como nas nossas casas… é mais fácil viver num bom ambiente onde haja amor, entreajuda e felicidade, do que numa atmosfera de conflito, negligência e tristeza», explicam dois colaboradores deste centro comunitário, o animador sociocultural Ângelo Valente e a gerontóloga Sofia Nunes.


O Centro Comunitário da Gafanha do Carmo, a funcionar desde 2010 nas valências de centro de dia, lar de idosos e apoio domiciliário, é agora presença assídua na comunicação social.

Tal popularidade deve-se a uma abordagem à terceira idade bastante criativa e raramente encontrada em contextos semelhantes.


«Brincamos muito com os nossos idosos, e nós também nos divertimos imenso, e tudo acontece com grande espontaneidade. Começámos por fazer vídeos e fotografias para que as famílias dos residentes, muitas delas a residir no estrangeiro, pudessem acompanhar a vida dos seus familiares. Criámos um canal de Facebook, que atualmente conta com cerca de 33 mil seguidores. Mais tarde, decidimos fazer com a participação dos idosos vídeos motivacionais e vídeos cómicos, nestes últimos pomo-los a imitar várias personalidades conhecidas do grande público. Alguns destes vídeos são autênticas paródias que se tornaram virais, com cerca de 200 mil visualizações. Foi assim que ficámos conhecidos e começámos a ser chamados para participar em programas de televisão», conta o animador sociocultural.



O idoso deve sentir-se em casa, em família

Sofia e Ângelo garantem que a alegria a que assistimos nos vídeos reflete o real espírito da casa. Sim, porque todos os membros da equipa se recusam a olhar para o centro comunitário como uma instituição. «O nosso objetivo é que todas as pessoas que acompanhamos se sintam na casa delas e não num lugar onde são colocadas à espera de morrer».

​Também por esse motivo a equipa resolveu acolher no lar dois cães, o Vadio e a Viana. Com histórias de vida bastante diferentes, os dois bichos têm trazido aos idosos inúmeros benefícios, sobretudo no combate à depressão e à solidão, sentimentos muito presentes nas pessoas mais idosas.


Atividades com animais de estimação



​É principalmente fora de portas que a equipa do Centro Comunitário da Gafanha do Carmo desenvolve o seu trabalho, na procura de envolver a população do centro com a comunidade exterior. Visitas a escolas, experiências de realidade virtual na Universidade de Aveiro, passeios a várias localidades, idas a sessões de cinema e conferências, e participação em ações de voluntariado são algumas das atividades os idosos integram.

«Perigo! Há gente feliz aqui» é o que vemos escrito na parte exterior da carrinha branca que transporta os idosos e os dois cães do centro para todo o lado.


​Por vezes, o que acontece é que “o Maomé vem à montanha” e os residentes do lar recebem visitas de ilustres. A comprovar esta realidade está, logo à entrada, um Wall of Fame, onde podemos encontrar as caras dos famosos que já passaram por ali. «Às vezes, somos nós que fazemos os convites para participarem nos nossos projetos, descobrimos os números de telefone e avançamos sem pensar duas vezes. Também acontece serem as próprias figuras-públicas a nos procurarem como resultado da nossa popularidade», relata a gerontóloga.



Projetos que proporcionam alegria e vitalidade aos idosos

São vários os projetos que nos últimos nove anos têm sido desenvolvidos neste centro comunitário. Como explicam Ângelo Ventura e Sofia Nunes, que colaboram com a instituição desde o início, a concretização de tais projetos só foi possível devido a um verdadeiro sentido de comunidade que se criou ao longo deste tempo.

​Um forte espírito de equipa, uma atitude positiva, generosa e de proximidade para com o idoso, uma dinâmica hierárquica horizontal, uma direção aberta e colaborativa e um ótimo aproveitamento das novas tecnologias de informação foram os ingredientes utilizados para o sucesso do Centro Comunitário da Gafanha do Carmo.



Projeto «Antes de morrer quero…»

O «Antes de morrer quero…», que procurou promover o autoconhecimento dos idosos e a consequente concretização dos seus sonhos, foi notícia dentro e fora do país. A partir desta iniciava, surgiram em outras partes do mundo projetos semelhantes para diferentes populações institucionalizadas.

Foram vários os sonhos que os residentes do lar do Centro Comunitária da Gafanha do Carmo viram tornar-se realidade. O sonho do senhor António era regressar a Alvalade, o que veio a acontecer. Cantar para uma multidão era o desejo de Maria Lopes, concretizou-se. Maria Vitória e Alfredo Miranda andaram de avião antes de morrer, como desejavam. Palmira regressou à Figueira da Foz, tal como sonhava. João realizou o seu sonho de voltar a conduzir após o AVC que sofreu. Manuel Clemente regressou a um navio depois de muitos anos…


«Antes de morrer quero...»



Tudo começou com a escrita do sonho a giz numa ardósia. Os idosos foram fotografados com as respetivas ardósias na mão e as fotografias que resultaram da iniciativa foram colocadas no Facebook do centro. 

A comunidade ficou de boca aberta quando começaram a chegar mensagens de pessoas de toda a parte do mundo a voluntariarem-se para ajudar na concretização dos sonhos dos idosos.


​«A nossa ideia, quando colocámos as fotos nas redes sociais, não era angariarmos pessoas para nos auxiliarem a concretizar os sonhos dos nossos residentes… mas isso acabou mesmo por acontecer. Iniciámos o projeto em 2015 e ainda hoje continuamos a realizar sonhos», referem os colaboradores.



Projeto Futuridade

O Futuridade, que vai já a caminho da 4ª edição, é um evento solidário anual no qual participam cerca de 500 pessoas. Para cada evento, o Centro Comunitário da Gafanha do Carmo reúne um painel de 12 personalidades de relevo da cultura e da política, e convida-os a imaginar, perante uma plateia, a sua própria velhice. O objetivo é promover o debate sobre a terceira idade na sociedade. Na Futuridade já participaram nomes como Manuela Ferreira Leite, Catarina Martins, Nuno Markl e Daniel Oliveira, entre outros.



Projeto Vídeos Paródia

Foi através dos vídeos paródia que o centro comunitário alcançou popularidade. A participação dos idosos nos mesmos estimula a criatividade, o riso e a vitalidade. «É um processo de grande diversão, para nós e para os residentes, que participam de livre vontade. Depois do produto acabado, os residentes costumam ir ao Facebook ver os comentários que o vídeo suscitou, uma atividade que também os anima bastante», comenta o animador sociocultural Ângelo.




O fenómeno Conan Osíris não passou despercebido entre os idosos da Gafanha do Carmo, que parodiaram o tema “Telemóveis”, vencedor do Festival da Canção RTP 2019. A reinterpretação muito animada da música “Makeup” do Agir é outro sucesso do Centro Comunitário nas redes sociais. O Presidente da República também já foi alvo das brincadeiras dos residentes, sendo que no vídeo “Entrevista” elegeram a D. Ermelinda como o “grande amor da vida” do professor Marcelo.



Um trabalho reconhecido em Portugal e no estrangeiro

Em Janeiro deste ano, o animador sociocultural e a gerontóloga foram convidados pelo Parlamento Europeu para falar um pouco sobre o trabalho que desenvolvem com os idosos, considerado pela instituição europeia como um exemplo a seguir. Podiam ter ido só os dois, mas decidiram levar com eles uma das auxiliares do lar e três idosos, mostrando com este gesto que o verdadeiro segredo está no espírito de família que todos os dias conseguem criar.

O trabalho do Centro Comunitário da Gafanha do Carmo é também conhecido no Brasil. O projeto «Antes de morrer quero…» esteve em exposição no município de Capitólio, em Minas Gerais, através de uma mostra fotográfica. Já a cadeia televisiva BBC achou o projeto interessante e resolveu fazer uma reportagem sobre os sonhos dos idosos da Gafanha do Carmo.


​A aposta na proximidade ao idoso, no desenvolvimento das suas inteligências emocional e relacional, na sua integração na sociedade e no contacto com as tecnologias de informação são aspetos diferenciadores que este centro comunitário oferece. Muito em breve, a história do Centro Comunitário da Gafanha do Carmo poderá ser encontrada em livro e ficar ainda mais conhecida do que já é, garantem Ângelo Valente e Sofia Nunes.



​Procura Lares e Residências para Idosos?

Saiba se há vagas disponíveis | Ligue 939 667 800

When visiting our website, you acept the cookies we use to improve your browsing experience.

 

Help?

+351 939 667 800