Procura-se Auxiliar de Geriatria (m/f) - URGENTE

Por Susana Pedro , 17 de Julho de 2018 Profissionais


​Temos vindo a falar com alguma recorrência na centralidade e importância que os lares de idosos assumiram no seio da sociedade portuguesa. Assim, e porque existe uma procura crescente no que concerne aos serviços especializados no cuidado à pessoa idosa, considerou-se pertinente falar de uma figura profissional indubitavelmente importante neste processo: o auxiliar de geriatria.

Em dialética com o aumento da população idosa, a figura do auxiliar de geriatria ganha um relevo ímpar e com este movimento ascendente de importância as preocupações em torno destes profissionais tornam-se centrais, já que os auxiliares de geriatria se tornaram uma espécie de reflexo da qualidade do serviço prestado pela sociedade para com a população sénior.



Quem são os auxiliares de geriatria e porque são tão importantes no cuidado à pessoa idosa?

Os auxiliares de geriatria cuidam e auxiliam a pessoa idosa em duas vertentes diferenciadas: física e emocionalmente. 

São profissionais que auferem de uma remuneração na ordem dos 600 euros e o seu serviço é muitas vezes supervisionado por um técnico qualificado.

Uma instituição que se centre no apoio à pessoa idosa deve prestar a devida atenção aos auxiliares de geriatria, nomeadamente ao seu número e, muito importante, ao perfil, já que uma das suas principais funções e objetivos enquanto profissionais é o garante do bem estar do idoso.



Quais são as principais funções do auxiliar de geriatria?

  • Providenciar cuidados de higiene à pessoa idosa e garantir que esta tem acesso a artigos de higiene, assim como a roupa limpa, seja de vestuário ou de cama;

  • Alimentar os utentes, tendo sempre em atenção os cuidados alimentares de cada um;

  • Inserir os utentes no seu novo espaço, estimulando-os, comunicando com eles e motivando as atividades físicas e intelectuais;

  • Acompanhá-los a consultas médicas ou idas a hospitais;

  • Ministrar a medicação e zelar pela sua toma devida;



Qual o perfil, por norma, de um auxiliar de geriatria?

No cômputo geral são, na sua maioria, mulheres. Isto deve-se ao facto de o papel de cuidar estar iminentemente ligado à figura feminina. Contudo, é importante que esta realidade se altere, proporcionando aos homens a possibilidade de se assumirem e reverem neste papel. Para além disto, são profissionais com um baixo índice de escolaridade num trabalho caracterizado pela alta rotatividade.



A que se deve esta alta rotatividade entre os auxiliares de geriatria?

A verdade é que este tipo de profissão não se caracteriza por ser atrativa, senão vejamos: a remuneração é baixa para um trabalho que é física e emocionalmente desgastante e que também exige um perfil muito especial. Para esta taxa de rotatividade concorrem a parca perspectiva de evolução na carreira, pouco acompanhamento, motivação ou comunicação deficitária por parte dos supervisores.

Convirá realçar que o trabalho de um auxiliar de geriatria é realizado por turnos o que influi no seu descanso assim como no decorrer normal das atividades em comunidade ou em família por parte do trabalhador. A isto deve-se adicionar o facto de ser deficientemente remunerado.

O papel do supervisor é fundamental para contrariar esta situação, mas disso falaremos mais adiante.

De facto, parece-nos uma verdade clara e distinta que a alta rotatividade por parte dos auxiliares de geriatria influenciará em muito a qualidade do serviço prestado por parte da instituição, tendo em conta que são estes profissionais que mais contactam com os idosos e a sua rotatividade poderá ser uma quebra no bem-estar emocional daqueles.

A estabilidade profissional dos auxiliares de geriatria deve ser absolutamente incentivada e, concomitantemente, os utentes dos lares de idosos sentir-se-ão, também eles, mais protegidos e melhor acolhidos pela instituição.




Como conseguir manter os auxiliares de geriatria?

Tendo em conta a crescente importância do auxiliar de geriatria enquanto figura cuidadora da pessoa idosa e a sua importância para com a qualidade do serviço prestado pelos lares de idosos, é dever fundamental dos gestores destas instituições promoverem condições de trabalho que tragam satisfação pessoal e profissional a estes colaboradores.

Assim, torna-se imperativa a procura sistemática no sentido de melhorar as suas condições laborais impulsionando a realização destes profissionais e melhorando a sua auto-estima e sentido de pertença à Instituição. Tal poderá fazer-se de várias maneiras, entre elas providenciando melhores salários, impulsionando a formação e o desenvolvimento profissional ao mesmo tempo que reconhece o impacto positivo do seu trabalho.



Melhorando as condições laborais e impulsionando a sua realização, auto-estima e sentido de pertença à Instituição.



As chefias devem procurar, ao mesmo tempo, a promoção da comunicação interna
De modo a evitar as lesões físicas de uma atividade profissional que é altamente desgastante, os lares devem estar equipados devidamente de modo a minimizar o esforço físico destes profissionais.

​É indubitável que, aliada a condições dignas, surja uma maior satisfação no trabalho que se torna visível no cuidado providenciado à pessoa idosa.


Procura Lares e Residências para Idosos?

Saiba se há vagas disponíveis | Ligue 939 667 800

Ao visitar o nosso site, aceita os cookies que usamos para melhorar a sua experiência de navegação. Pode ler a nossa politica de privacidade e cookies.

Aide?

 


Para saber preços e vagas?

Ligue 939 667 800