Guia prático: preparar a mudança do idoso para o lar

Por Sónia Domingues , 27 de Janeiro de 2022 Lares e Residências


Chegou a hora da mudança do seu familiar idoso para o lar: já escolheu a residência mais adequada, já conversou com o idoso e já o preparou mentalmente para a apropriada mudança. Mas, e agora?

Existem várias tarefas a realizar antes da mudança do seu familiar idoso para o lar, e objetos a não esquecer para que a transferência de domicílio corra bem e sem causar ansiedade desnecessária no idoso. Em primeiro lugar, deverá questionar o lar de idosos acerca de várias questões, principalmente do contrato e dos serviços que estão incluídos na mensalidade, para evitar gastos desnecessários. Inicialmente, também terá de tratar de documentação vária, burocracia e contas. Tudo o que esteja em nome do idoso, de que ele não poderá tratar no futuro, deve ser tido em conta.



Não deixar pontas soltas pode evitar contratempos futuros 


Há um conjunto de documentos e burocracias que pode e deve ser tratado antes da mudança do idoso para o lar, caso seja possível. Em casos mais urgentes de admissão, estes processos podem ser feitos por familiares, mas é preciso ter atenção e ver quando é que a assinatura do idoso ou mesmo a sua presença podem ser necessárias.



Tratar de papéis e burocracias essenciais

Antes de o idoso se mudar para o lar, deverá tratar das burocracias legais. Em primeiro lugar, se o idoso tiver sido diagnosticado com uma doença mental degenerativa, como demência ou Alzheimer, será prudente a família reunir-se e optar por fazer uma procuração em nome do familiar que ficará responsável.  Se o idoso não estiver mentalmente apto, o responsável terá de assegurar as contas bancárias, a pensão, a declaração de IRS, e outros documentos. Manter uma agenda das responsabilidades do idoso poderá ser uma forma de o responsável manter tudo em dia mesmo após a mudança.



Não esquecer a casa, as contas e o automóvel

Se o idoso vai sair da sua habitação para o lar de idosos, devem ser acauteladas as contas que estiverem em seu nome (água, luz, telefone e gás). Se o idoso for o proprietário da habitação, o responsável deverá ter em conta também o pagamento do IMI após a mudança.

Se o idoso tiver um automóvel próprio e já não o utilizar, também deverá ser dado um destino ao veículo o mais atempadamente possível, sob o risco de a viatura se ir degradando. Caso o idoso ainda possua carta de condução válida e se encontre em condições físicas, pode questionar o lar em relação ao uso da viatura. Existem alguns lares que permitem o idoso levar e usar o seu automóvel, enquanto reunir condições para conduzir em segurança.



Prevenir destino de animais de estimação

Se o idoso tem animais de estimação, será necessário dar-lhes um destino antes da mudança. Existem alguns lares que aceitam animais de companhia dos residentes, mas estes ainda são a larga minoria. Por outro lado, existem várias soluções quando os lares não aceitam animais. Se os animais puderem ficar na família, tanto melhor, para que o idoso possa relacionar-se com eles, quando estiver de visita ou mesmo levando o animal a visitar o idoso no lar (particularmente se se tratar de um lar com jardim). É importante reunir toda a informação relevante, desde o veterinário que o acompanha, à medicação de que o animal possa precisar, para que o futuro dono consiga prestar os melhores cuidados.



Assegurar relatórios médicos, medicação e restrições alimentares

Uma das coisas essenciais a levar aquando da mudança do idoso para o lar é o relatório médico atualizado e a medicação que o idoso faz. A família poderá pedir ao médico o chamado Guia Terapêutico, perto da data da admissão no lar. Este guia deve ser entregue no lar, para que o médico e equipa de enfermagem que trabalham com o lar de idosos possam estar a par do seu estado de saúde geral, e poder fazer o acompanhamento do idoso da melhor maneira. 

A família também deverá incluir uma lista de alimentos e bebidas que o idoso não deve consumir, seja por alergia ou alguma intolerância. Dependendo do estado de saúde do idoso, poderá ser recomendável ter um Procurador de Cuidados de Saúde, que decida procedimentos médicos futuros.



Preparar a mala para o futuro no lar de idosos


Após as primeiras considerações, que devem ser realizadas assim que possível, é altura de preparar a mala do idoso. Neste processo de mudança do idoso para o lar, será necessário levar alguns pertences pessoais do idoso. Tudo o que seja necessário levar, e tudo o que o idoso queira levar por ter valor sentimental. É importante estar em sintonia com o lar de idosos, pelo que na primeira visita há algumas perguntas que pode fazer. Poderá fazer uma lista das coisas a levar, para evitar algum esquecimento que perturbe o novo quotidiano do idoso e comprometa a sua integração. Siga as dicas Lares Online para uma mudança sem precalços!



Roupa e calçado confortável

Na hora de escolher a roupa a levar pelo idoso para o lar, deverá ter em conta se a roupa é confortável e adequada à época. Incluia roupa suficiente para o idoso se mudar pelo menos sete dias, para que seja suficiente para o início.

Deve levar peças confortáveis e familiares ao idoso, assim como algumas roupas de domingo, para o idoso vestir em ocasiões especiais e quando recebe visitas. Pijamas e camisas de dormir devem ser também adequados e confortáveis. A não esquecer as meias e roupa interior. É importante ter em conta que os lares de idosos, por norma, têm uma temperatura moderada, mas se o idoso for friorento poderá juntar mantas, casacos de malha ou xailes, e um roupão. Também deverá ter uns pares de pantufas, que sejam antiderrapantes, e um ou dois pares de sapatos.

As roupas e calçado devem ser etiquetados, uma vez que serão tratados em conjunto com os pertences dos restantes residentes. Alguns lares fazem este serviço, e outros pedem para a família o fazer antes da mudança. É questão de perguntar ao responsável do lar. Caso a família o faça, existem produtos especializados para este efeito: pode optar por etiquetas autocolantes ou termoaderentes.



Produtos de toilette

Deve colocar na lista os produtos de higiene diária do idoso. Normalmente, os lares asseguram os produtos básicos, como escova de dentes, dentífrico, gel de duche e champô. Se o idoso tiver necessidades especiais ou quiser produtos em específico (champô especializado para a queda, condicionador com cheiro específico, gel de duche com cuidado para um problema de pele), é preferível falar da situação no momento da assinatura do contrato. Poderá inicialmente levar estes produtos na mudança.

Mas aqui falamos de produtos como os produtos de higiene de próteses dentárias, escova do cabelo, lâminas assim como espuma de barbear, caso se trate de um homem. Não se deve esquecer também dos cremes faciais e de todos aqueles produtos que o idoso utiliza habitualmente, como por exemplo after-shave, perfume, maquilhagem ou mesmo creme para as mãos. Estes bens, que pertencem à esfera dos produtos de beleza, são essenciais para que o idoso sinta que não está a ser despojado da sua individualidade e para que continue a cuidar da sua aparência e da sua auto-estima.



Joias e adornos pessoais

Os adornos pessoais fazem parte da personalidade do próprio idoso, que não deve ser privado destes pertences apenas por se mudar para um lar. Inclua itens como aliança ou outros anéis, um relógio, algum fio especial que o idoso sempre utilizou, e um a dois pares de brincos. Tenha em conta que, caso se tratem de peças valiosas, o lar de idosos poderá ter um cofre para segurança dos bens, ou podem existir cofres individuais nos quartos. Mas atenção que deverá questionar a direção técnica em relação ao seu uso e à responsabilidade caso algo desapareça ou seja danificado. Alguns lares também fazem na mudança um inventário dos pertences do idoso, que é atualizado periodicamente. É importante comunicar com o responsável do lar em respeito a estes bens, visto que podem ser valiosos do ponto de vista financeiro e sê-lo-ão certamente do ponto de vista sentimental para o idoso e para a sua família.



Instrumentos de apoio ao idoso

A família deverá incluir na lista de coisas a levar para o lar de idosos o conjunto de instrumentos que o idoso utiliza no seu quotidiano. Deverá ter em conta todo o tipo de ajuda ocular: óculos, óculos para ler, e mesmo óculos de sol.  Também as ajudas técnicas físicas são importantes, como bengalas, andarilhos e cadeira de rodas. A maioria dos lares fornece estes instrumentos de apoio, sempre que necessário. Mas o idoso irá sentir-se mais familiarizado com aqueles que já utiliza habitualmente. além de que esses estarão adaptados à sua altura, uso e conforto. Não esquecer na mudança também alguns pequenos objetos, como o telemóvel e respetivo carregador, relógio de mesa de cabeceira ou um pequeno rádio, caso o lar não disponibilize, e outros instrumentos eletrónicos, como tablets ou computadores portáteis, que o idoso utilize habitualmente em casa.



Passatempos e material de leitura

Tendo em conta as preferências do idoso, poderá incluir alguns passatempos para o idoso se ocupar nas horas de lazer. Todo o material de leitura habitual do idoso, desde livros a revistas e jornais, pode ser levado na mudança. No caso de o idoso acompanhar um jornal ou uma revista, pode dar indicação de qual e da sua periodicidade à equipa técnica do lar, para que o hábito não se perca. Também se o idoso tem um passatempo deverá incluir na mala os materiais necessários para ele continuar a alimentar essa paixão. Na mala para o idoso, poderá incluir passatempos como palavras-cruzadas, o conjunto de crochet ou de tricot, uma bola anti-stress, e puzzles.



Algumas peças de mobiliário e decoração para o quarto

Este ponto dependerá do tipo de quarto para que o idoso se vai mudar. Normalmente nos quartos individuais existe mais amplitude de objetos que o idoso pode levar, por não interferir com o espaço de mais ninguém. Alguns lares aceitam que o idoso leve algumas peças de mobília, como a mesinha de cabeceira ou um cadeirão. Por vezes, todo o quarto pode ser remodelado. Por outro lado, quando há a mudança do idoso para um quarto duplo ou triplo terá sempre de ter em atenção pelo menos outra pessoa com a qual vai passar a partilhar um espaço. Neste caso, será mais fácil levar algumas peças de decoração, como porta-retratos. Verifique sempre com a direção técnica o que o idoso pode levar antes da mudança. Antes de o idoso ser admitido no lar, questione-o quais os seus itens preferidos, para poder personalizar o espaço com fotografias e outra decoração que seja importante para ele.



Acertar pormenores com o lar antes da mudança do idoso


Antes de realizar a mudança do idoso para o lar de idosos, ele ou a sua família deverão discutir com a direção técnica todos os pormenores, porque cada lar tem um diferente regulamento interno e disposições diversas. É importante ter uma ideia clara do que o idoso pode ou não levar para o lar no momento de admissão, e deixar explícito no contrato o que vai de facto ser prestado. De outro modo, também deverá confirmar com o responsável do lar os artigos que estão incluídos na mensalidade, para evitar gastos desnecessários.

Para que a mudança para o lar de idosos ocorra sem percalços de maior, a organização será a chave para todo este processo, que, apesar de ser intrincado, será uma mais-valia para todas as partes envolvidas.



Procura lar para um familiar idoso? 

Submeta um pedido ou ligue 939 667 800.

Ao visitar o nosso site, aceita os cookies que usamos para melhorar a sua experiência de navegação. Pode ler a nossa politica de privacidade e cookies.

Aide?

 

Atendimento urgente (+ 351) 939 667 800