Dicas de RON CLARK para a gestão de colaboradores em lar de idosos

Por Mariana Camargo , 18 de Julho de 2022 Profissionais


Em qualquer empresa ou instituição, podemos encontrar diferentes tipos de profissionais que trabalham de maneiras distintas e necessitam de variados estímulos para serem mais produtivos no trabalho. Nos lares de idosos acontece a mesma coisa.

Há pessoas que têm mais iniciativa e outras que conseguem concentrar-se mais facilmente. Também existem aqueles que são mais produtivos em algumas horas do dia, e outros que precisam de um empurrão maior para trabalhar. Como pode encontrar no livro Sempre em Frente, do autor Ron Clark, há 5 tipos diferentes de colaboradores. O autor fez uma analogia sobre um autocarro para ilustrar a aceleração da mudança dentro de uma empresa.



Ron Clark

É um autor best-seller do New York Times e foi o Professor Americano do Ano, nomeado pela Disney. Cedo descobriu técnicas inovadoras para ajudar os seus alunos a aprender, e assim fundou a Ron Clark Academy em Atlanta, Geórgia. Mais de 25 000 educadores de todo o mundo visitaram-na, e aprenderam técnicas para ajudar crianças a alcançar sucesso escolar. Clark foi apresentado no programa Today e na CNN, e as suas experiências foram transformadas no filme The Ron Clark Story.


Deve saber como liderar todos os funcionários


Uma das funções de um líder é perceber em que categoria se insere cada um dos membros da sua equipa, e qual a melhor maneira de motivar, inspirar e trabalhar com cada um deles. Para conseguir perceber quais são os perdis dos profissionais que fazem parte da sua equipa, primeiro o líder necessita de uma breve descrição de como são as características de cada um. É preciso pôr em prática métodos para alicerçar as três bases do sucesso: educação, liderança e motivação das equipas. 

Neste artigo, queremos dar dicas para que responsáveis, proprietários e diretores técnicos de lares, possam identificar o tipo de profissionais que têm. Saiba como levá-los a atingir a máxima produtividade. Potencie o trabalho de equipa, minimize a rotatividade de pessoal, e aumente assim as expectativas de sucesso do lar.



Cada colaborador encaixa num perfil


Como poderá ver, cada trabalhador tem características muito distintas, que devem ser bem trabalhadas para que o trabalho de equipa seja possível, já que este é fundamental para o sucesso de qualquer empresa ou lar de idosos. Ron Clark frisa que o sucesso de uma equipa passa por compreender os seus membros, e é essencial que conheça os seus funcionários no lar. ​

​O autor faz uma alusão à empresa ser como um autocarro cheio de pessoas que ou impedem ou facilitam a capacidade da equipa de o fazer avançar: alguns dão o seu melhor, outros dão o que podem, outros deixam-se levar… e alguém tem de se certificar de que estão todos a ir na mesma direção!



1- Os Condutores


​Os condutores conduzem um lar de idosos e a sua equipa na direção certa


Características

Primeiro temos os condutores, que são quem dirige o autocarro e empurra todos para a frente. Geralmente são os gerentes, diretores, e responsáveis por equipas.


Num lar de idosos, será o proprietário, diretor técnico ou gerente, normalmente responsável pela instituição e gestão de cuidados.​


Dicas

Os condutores devem sempre manter a motivação do resto da equipa, a gerir o lar e os seus colaboradores para chegar aos objetivos propostos e ter o sucesso desejado.



2- Os Corredores


Os corredores são executantes de topo que fazem andar para a frente um lar de idosos


​Características

Os corredores confiam no seu condutor para gestão e direção do lar. ​Os corredores são aqueles funcionários com que pode contar, aquele profissional que tem vontade de fazer acontecer. Pode contar com os corredores para as tarefas mais delicadas. Se o condutor não permitir que os corredores brilhem, eles irão sentir-se desvalorizados e desaceleram. ​

Pense na auxiliar geriátrica mais proativa, que verifica sempre se o idoso está bem, se o lar está tudo limpo e arejado, que dá sugestões em como o lar pode melhor responder a cada um dos residentes.


Dicas​

O condutor deve motivar estes funcionários, protegendo-os do ciúme e certificando-se de que não sejam restringidos. Escute as sugestões de melhoria, dê-lhes espaço e autonomia para fazerem as suas tarefas. O seu papel enquanto líder é mantê-los sempre motivados. Dê-lhes espaço e autonomia para fazerem o seu trabalho, pois não precisam de supervisão constante. Se os abafar e fizer muitas perguntas, eles podem perder a vontade de fazer o seu trabalho com tanto brio.



3- Os Marchadores


Os marchadores são colaboradores diligentes, que acrescentam valor ao seu lar de idosos


​Características

Claro que são bons colaboradores, mas ainda assim sem estar ao nível dos corredores. São funcionários diligentes e consistentes, mas que, de forma diferente dos corredores, podem mudar de velocidade ocasionalmente. No seu lar, um marchador será um trabalhador perfecionista, com brio, mas que não sugere melhorias. Pode gostar muito de uma área em particular, mas não vai atuar nela sem indicação direta. 


Por exemplo, aquela auxiliar geriátrica que demonstra interesse em atividades socioculturais, em apoiar o animador durante convívios ou eventos, e mesmo os idosos em atividades fora do horário do animador sociocultural.


Dicas​

Estes facilmente podem virar corredores caso tenham o estímulo certo por parte do diretor técnico do lar. Por isso, perceba quais são as atividades que o profissional mais se sente vontade em fazer, e estimule-o a procurar melhorias, a fazer mais daquilo. Converse com ele e dê-lhe mais responsabilidades dentro das áreas em que pode acescentar mais valor. Perceba que áreas mais motivam o marchador e estimule-o a partilhar ideias de melhoria, assim como a fazer atividades fora das tarefas habituais. 



4- Os Caminhantes


Os caminhantes contribuem sem se esforçar muito no dia-a-dia


Características

Os caminhantes são mais lentos, e podem diminuir a produtividade geral da equipa. O caminhante é um funcionário que apenas faz o que tem de fazer. Ele estará sempre à espera que o chefe dê as tarefas, e não são proativos. São mais inconsistentes nas tarefas, às vezes fazem-nas com brio e outras vezes apenas por fazer. Não consideram muito o trabalho de equipa. ​Ainda assim, são importantes, pois têm potencial para crescer e ajudar a acelerar o autocarro.


Esta auxiliar entra e sai do turno à hora certinha, espera que sejam dadas tarefas e não é proativa em verificar os idosos. Acaba por ser mais inconsistente nos cuidados: às vezes trabalha com brio, outras vezes atabalhoadamente.


Dicas​

​Estes já são aqueles profissionais que necessitam de muitos estímulos para continuar sempre a produzir. Neste caso, o líder deve estar constantemente a dar reforço positivo das tarefas que fez bem, e motivá-lo frequentemente, supervisionando as tarefas mais delicadas e elogiando as atividades bem feitas. Que tal pensar em desafios de equipa para tentar motivar esses colaboradores?  Os caminhantes devem ser constantemente incentivados e motivados, através de elogios ao seu trabalho, de forma a que se transformem gradualmente em marchadores.



​5- Os Passageiros


Os passageiros são peso morto numa equipa e na atividade de um lar de idosos


Características

Os passageiros, infelizmente, não costumam ter ética de trabalho. Fazem seu trabalho apenas quando têm certeza de que alguém está a observar. Precisam da pressão de um colega ou superior para fazer as suas tarefas. Com isso, esse tipo de colaborador é aquele que mais dá trabalho ao condutor. 


Pois é... aquela auxiliar geriátrica que não tem autonomia, nem sentido de responsabilidade. Que aguarda que chegue um colega para avançar com as suas tarefas. Que se esquece de verificar se o idoso está bem, e passeia pelo lar apenas para fazer o seu horário.


Dicas​

​Faça uma lista completa de tarefas que devem ser feitas até ao final do seu turno, e acompanhe de perto o seu trabalho. Tenha certeza que ele terá sempre uma lista completa do que deverá fazer durante o dia, e acompanhe de perto o seu trabalho para confirmar que está tudo a ser realizado, e bem. Quando produz mais, ele pode ganhar alguma motivação e ajudar o «autocarro» a seguir sempre em frente.



Tire partido de todos os perfis no seu lar de idosos!


Então, se quer criar uma boa equipa no seu lar de idosos, deve tornar-se um bom líder e adotar o comportamento de um condutor. Desta forma, todos irão manter-se em movimento, e levará a equipa e o lar de idosos para outro nível de atendimento e cuidados.

Se tem interesse em artigos que pensados para a realidade de lares de idosos, a sua gestão e os seus colaboradores, continue a acompanhar os artigos do blog Lares Online. Estamos sempre empenhados em trazer as novidades do mercado e novos conhecimentos.


Quer estar sempre atualizado?

basta registar-se ou ligar 924 059 935.

When visiting our website, you acept the cookies we use to improve your browsing experience.

 

Help?

+351 939 667 800