E se tiver que cuidar de um idoso com Covid-19 em casa?

Por Joana Marques , 18 de Janeiro de 2021 Idosos

O risco de contrair Covid-19 é particularmente elevado entre os idosos, que têm um sistema imunitário menos robusto e maior prevalência de condições médicas preexistentes, como doenças cardíacas e pulmonares, diabetes ou cancro, que agravam o quadro infeccioso.


Em tempos de pandemia, é importante saber o que fazer se o seu familiar idoso apanhar Covid-19. Tem os conhecimentos e as ferramentas necessárias?


Cuidar de um idoso em casa é muito exigente, mesmo sem o desafio adicional que representa o novo coronavírus. Neste artigo explicamos-lhe como cuidar do seu familiar idoso durante uma crise pandémica e o que precisa de saber e fazer caso ele adoeça com Covid-19.

Prevenir a doença é o melhor remédio

 
Uma das medidas mais eficazes é a permanência em casa, sempre que possível. Recomenda-se a criação de uma rotina diária que inclua as regras básicas de higienização das mãos, a etiqueta respiratória e o distanciamento social. É fundamental cumprir rigorosamente estas regras, pois mesmo entre idosos há casos assintomáticos que são uma perigosa fonte de infeção para outros.


Um idoso mais dependente precisa de ajuda diária para seguir as regras básicas de higienização, e deve permanecer sempre em casa.


Recolhimento não é sinónimo de abandono e quanto mais acompanhado o idoso se sentir, melhor será a sua saúde mental e maior será a sua capacidade de combater uma potencial infeção. Mesmo assim, os idosos que têm mobilidade acabam por sair de casa por vezes. Sempre que sair à rua, o idoso deve colocar máscara, levar desinfetante e utilizar roupas e calçado que ofereçam a maior proteção possível (mangas compridas, calças quentes, sapatos fechados, chapéu ou gorro, luvas e cachecol.


Deve conversar com o idoso e explicar-lhe que deve reduzir ao essencial as saídas à rua. Ofereça-se para ir por ele.


O ideal é que o idoso vá à rua acompanhado, para que haja garantias que ele nunca tira a máscara, que usa o desinfetante sempre que está em sítios públicos e mantém o distanciamento, especialmente quando está entre pessoas conhecidas, com as quais existe maior tendência para relaxar os cuidados. São necessários cuidados redobrados se o seu familiar idoso sofre de algum tipo de demência.​
 

E se o idoso apanhar Covid-19?


Mesmo com ajuda (apoio domiciliário ou empregada doméstica, por exemplo), cuidar de um familiar idoso é um desafio monumental. Tudo se complica se o idoso começar a manifestar sintomas de Covid-19. Os mais recorrentes são febre, tosse seca, falta de ar, dores musculares, dores de cabeça e diarreia, mas convém que esteja igualmente atento aos sintomas atípicos em idosos.


A primeira coisa a fazer se suspeitar que o idoso está com Covid-19 é ligar para o SNS24. Monitorize também o agravamento dos sintomas.


Se o idoso estiver infetado por Covid-19, deve colocar em prática todas as medidas de isolamento domiciliário recomendadas pela DGS. 

​Além disso, vai precisar dos seguintes materiais:

  • Termómetro;
  • Stock de máscaras descartáveis para si e para o idoso (e se possível óculos de proteção);
  • Luvas descartáveis;
  • Medicamentos de venda livre para reduzir a febre (mas também um stock da medicação habitual);
  • Lenços de papel e toalhas de papel descartáveis;
  • Contentor exclusivo para resíduos possivelmente contaminados;
  • Sabão para as mãos e gel desinfetante a 70% espalhado pelas divisões da casa, mas em especial no quarto do idoso;
  • Abundância de produtos de limpeza, toalhetes para limpar superfícies e lixívia.


Isolamento e cuidados a ter com o idoso

 
O idoso deve ficar isolado entre dez a catorze dias, dependendo da prevalência dos sintomas, mas deve estar acompanhado e deve ser vigiado durante esse período. Continua a ser necessária a prestação dos cuidados básicos do dia-a-dia: higiene pessoal, alimentação, hidratação e toma de medicação. 


Deve-se estabelecer uma única pessoa para cuidar do idoso com Covid-19; de outro modo, multiplicam-se os riscos de transmissão da doença.



​Deve haver cuidados extra com a limpeza e arejamento. O quarto onde o idoso fica isolado deve estar bem ventilado e o ideal é que tenha uma janela para o exterior. A roupa e os lençóis devem ser acondicionados num saco fechado e lavados entre 60º a 90º, nunca misturados com roupa de outras pessoas. A casa-de-banho deve ser de uso exclusivo do idoso e lavada com lixívia após cada utilização, sem exceções. Pratos, copos e talheres devem ser lavados a altas temperaturas, de preferência à máquina.


Deve garantir que o idoso está isolado, mas não abandonado. Esteja atento a sinais de angústia, ansiedade ou agitação.


Garanta a correta alimentação e hidratação, mesmo que o idoso não tenha fome ou sede: aposte nas sopas, fáceis de ingerir e ricas em nutrientes. É obrigatória a utilização de máscara sempre que o idoso está em contato consigo ou com outra pessoa (no caso de o idoso viver com o restante agregado familiar), embora não exista a necessidade de a manter colocada quando está sozinho.

Verificar com frequência a febre e se os sintomas se alteraram ou agravaram é muito importante, especialmente se o idoso tiver histórico de doenças pulmonares ou respiratórias. Promova bem-estar e relaxamento através da sugestão de atividades simples como ouvir música, ver televisão ou falar com amigos e familiares ao telefone.


O idoso deve ter o seu apoio emocional


​A saúde mental dos idosos durante a pandemia tem sido tema de diversos estudos científicos e artigos jornalísticos, porque o recolhimento domiciliário e o distanciamento social têm um impacto muito negativo a nível emocional. O confinamento trouxe aos mais velhos sentimentos como solidão, ansiedade, tristeza e depressão.


Fazer-se sentir presente pode ser o quanto baste para que o idoso se sinta menos sozinho.


O isolamento em caso de contaminação por Covid-19 pode agravar o estado de espírito do idoso. O facto de o idoso se sentir cansado, ter dores no corpo e estar prostrado por causa da febre não é favorável à boa disposição. Converse nos momentos em que ele se sente melhor: relembrem o passado e façam planos para o futuro - é muito importante que o idoso sinta que há esperança e vida além da Covid-19.


Saber se o idoso precisa de internamento 


É possível que consiga cuidar do idoso em casa enquanto ele está doente com Covid-19. No entanto, é fundamental estar atento ao estado de saúde durante esse período, porque as complicações são frequentes e imprevisíveis e pode ser necessário recorrer ao internamento hospitalar.


Esteja atento porque a falta de ar e as dificuldades em respirar começam, normalmente, entre o oitavo e o nono dia da doença.


É, aliás, a falta de ar que pode exigir um tratamento médico mais intensivo. Somente no hospital o idoso tem acesso a profissionais de saúde treinados em cuidados específicos para a Covid-19. Além disso, pode ser necessário recorrer a ventiladores que proporcionam uma fonte suplementar de oxigénio, crucial para o funcionamento de todos os órgãos do corpo e para a recuperação da doença. 
 
Não hesite em procurar ajuda médica especializada (através do SNS24 ou do INEM) caso os sintomas do seu familiar idoso se agravarem ao ponto de ele já não ter condições em casa para curar a Covid-19.

​Para encontrar um lar para idosos

basta submeter um pedido ou ligar 939 667 800.

Ao visitar o nosso site, aceita os cookies que usamos para melhorar a sua experiência de navegação. Pode ler a nossa politica de privacidade e cookies.

Ajuda?

(+ 351) 939 667 800