O que leva pessoas autónomas a viver em residências sénior?

Por Ana Palma , 26 de Fevereiro de 2019 Envelhecimento


Quando analisamos a entrada dos idosos numa residência sénior, verificamos que um dos pontos fundamentais e, talvez, um dos principais potenciadores é a perda da autonomia, seja ela física ou mental. Em dialética com isto, prende-se a idade avançada, a solidão, se um dos cônjuges tiver falecido, a carência ao nível dos apoios institucionais e sociais, problemas ao nível da saúde, assim como a falta de disponibilidade por parte dos filhos no que respeita à manutenção dos seus cuidados de saúde, alimentação ou higiene.

Ou seja, a maior parte dos idosos ingressa num lar pelos fatores que anunciámos, mas muito poucas vezes pela sua vontade ou por considerarem que a vivência num lar pode acarretar benefícios.

Contudo, valerá a pena enunciar alguns aspetos que podem levar a que idosos que beneficiem de um certo grau de autonomia considerem vantajoso viver em residências sénior.



O que leva, então, pessoas autónomas a preferir viver em residências sénior?


1 – Espaços exteriores adaptados de lazer e entretenimento

Uma residência sénior que tenha a capacidade de receber um jardim ou uma horta fará com que não só o espaço se preencha de uma maneira bela e harmoniosa, mas, ao mesmo tempo, conseguirá contribuir para um envelhecimento mais ativo e saudável dos seus utentes. Os idosos que, como referimos num outro artigo, perdem o seu lugar ativo dentro da sua comunidade, ao cuidar de um jardim ou de uma horta podem reaver esse sentido de missão e considerarem-se úteis. Com uma horta, os seniores beneficiam não só de atividade e ocupação como podem contribuir para aquela que é a sua comunidade, com géneros alimentícios ou plantas medicinais.



2 – Transportes que facilitam deslocações de residentes e visitantes

Os lares de idosos podem beneficiar de localizações privilegiadas e, desse modo, providenciar aos seus utentes a possibilidade de acederem com facilidade a transportes. Como temos estado a focar pessoas com um certo grau de autonomia, a facilidade ao nível da deslocação, seja para visitar os familiares ou para serem por estes visitados, seja para poderem estar mais facilmente conectados a zonas de cafés, jardins ou de lojas, é, sem dúvida, um dos pontos potenciadores da escolha de seniores mais ativos por residências sénior.



3 – Pet-friendly, onde os animais de estimação são bem vindos

Muitos lares contam já com terapias que têm por base a relação entre os idosos e animais de estimação. Tendo demonstrado resultados, ao nível da terapêutica, extremamente positivos, os seniores podem encarar este tipo de contacto extremamente benéfico. Para além disto, cada vez mais residências sénior entendem a necessidade e o benefício de os idosos poderem ser acompanhados pelos seus animais de estimação ou por mascotes da própria residência que os acolhe. Por este motivo, e a partir do momento em que os animais de estimação não são vistos como um entrave, os idosos mais autónomos, percebendo as vantagens que uma residência sénior pode ter, optam pela entrada numa instituição deste género.



4 – Equipamentos que potenciam o exercício físico e a saúde

Algumas residências sénior estão extremamente bem equipadas. Pensando na saúde dos seus residentes e percebendo a importância do exercício físico enquanto potenciador de um envelhecimento mais ativo e, por conseguinte, qualitativo, providenciam à sua comunidade sénior piscinas ou ginásios para que se possam exercitar ou apenas usufruir do prazer de nadar.



5 – Quartos single ou de casal privados indutores da privacidade

Um sénior autónomo pode optar mais facilmente  por ingressar numa residência se esta possuir quartos privados. Assim, poderá usufruir de todos os aspetos positivos que esta tem para oferecer ao mesmo tempo que consegue manter a sua privacidade.



6 – Mobiliário de hotel com conforto e requintados interiores

Algumas residências de luxo caracterizam-se pela qualidade e envolvência dos seus requintados interiores. Muitos seniores que ainda gozam uma vida autónoma preferem-nas pela qualidade dos serviços que entregam e pela excelência das suas instalações, que fogem desta forma ao estereótipo dos lares mais convencionais, de aspeto hospitalizado e estéril.



7 – Localização próxima de serviços e integrada na comunidade

Uma residência bem localizada, como vimos, pode trazer bastantes benefícios aos seniores mais ativos. Porque a manutenção da vida social é importante, salutar e aconselhada, existem idosos que escolhem lares que, a par do apoio que lhes podem dar, estejam bem localizados, perto de cafés ou restaurantes providenciando a continuidade da confraternização e uma integração na comunidade local.



8 – Actividades diversas para combater solidão e isolamento

Um dos motivos que podem levar um sénior ativo a optar por uma residência é a necessidade de combater o isolamento, a solidão e o medo que daí possa advir. Existem residências seniores extremamente bem organizadas ao nível das atividades que podem potenciar aos seus residentes. Assim, estes seniores podem usufruir de aulas de pintura, ginástica, teatro, ouvir música, ter acesso a uma biblioteca, usufruir de serviços de estética, entre outros, ao mesmo tempo que se conectam com outras pessoas.



​Procura Lares e Residências para Idosos?

Saiba se há vagas disponíveis | Ligue 939 667 800

Ao visitar o nosso site, aceita os cookies que usamos para melhorar a sua experiência de navegação. Pode ler a nossa politica de privacidade e cookies.

Aide?

 


Para saber preços e vagas?

Ligue 939 667 800