Idosos agressivos com os cuidadores: como agir?

Por Catarina Bouca , 24 de Setembro de 2019 Envelhecimento


Muitas vezes, os idosos têm comportamentos agressivos contra os familiares que tomam conta deles. O tipo e o grau dessa agressividade variam muito de situação para situação, mas podem mesmo chegar ao ponto da violência física e psicológica.

Isto por vezes acontece porque alguns idosos lidam muito mal com a perda de autonomia, afetividade e dignidade que o processo de envelhecimento acarreta. Acabam por descarregar em quem está mais próximo toda a raiva, frustração e tristeza que sentem.



Quem são estes idosos?

Em alguns casos, o idoso já apresentava uma personalidade violenta ou alguma patologia mental, que só veio a piorar com a idade. Em outras situações, na origem dos comportamentos abusivos está uma relação muito conflituosa entre o idoso e o cuidador informal que nunca foi resolvida ao longo da vida.

Os comportamentos abusivos normalmente são direcionados aos familiares mais próximos porque intuitivamente os idosos sabem que estas são as pessoas que mais os amam e que, por isso mesmo, estarão sempre ao seu lado.



Como deve agir o cuidador informal?

cuidador informal que é vítima de fortes abusos por parte do idoso deve arranjar uma outra pessoa para o substituir, a fim de salvaguardar a sua segurança e bem-estar. Essa pessoa pode ser outro familiar ou mesmo um cuidador formal. Mas o que acontece é que muitas vezes essas alternativas não são possíveis, ou por falta de recursos financeiros ou de outra pessoa da família disposta a assumir os cuidados, e o familiar é obrigado a continuar no seu papel de cuidador maltratado.

Nesse caso, o cuidador informal deve tentar reverter a situação, aprendendo a impor limites e a aplicar o chamado amor firme, que significa distanciar-se emocionalmente do idoso e direcionar o cuidado para si próprio. O amor firme é uma aprendizagem difícil que pode requerer a ajuda de um profissional de Saúde Mental.



Identifique as causas da agressividade

É muito importante que o cuidador informal identifique as causas da agressividade do idoso, isto para que as possa eliminar e, desta forma, tornar a convivência mais harmoniosa, o que beneficiará ambas as partes. Falta de sono, efeitos secundários da medicação, dores físicas e ambientes exteriores desorganizados e barulhentos estão, não raras as vezes, na origem dos comportamentos agressivos dos idosos.



Dicas para lidar com a agressividade do seu familiar idoso

É fundamental que o cuidador informal saiba como reagir aos comportamentos impróprios do idoso, de forma a não agravar a situação. Existem várias técnicas recomendadas para travar a escalada da agressividade. Conheça quais são:

Fale pela positiva

Não discuta e elimine a crítica completamente. Faça perguntas, pratique a escuta atenta e valide os sentimentos do idoso. 

Mantenha a calma

Seja carinhoso e protetor com o idoso. Quando a agressividade aparecer, mantenha-se calmo e gentil. Sorria o mais que puder para mostrar que tem boas intenções. Use toques ligeiros para comunicar a sua afetividade.
Fale calmamente, use frases curtas e nunca acompanhe o idoso no aumento do tom de voz.

Use a lógica

Não acuse o idoso quando ele tiver comportamentos agressivo. Em vez disso, use a lógica para lhe mostrar por que esses comportamentos não são aceitáveis.

Mude de assunto

Utilize a distração como ferramenta. Quando o idoso estiver a ser hostil, tente redirecionar a atenção dele para outro lado. Aborde outro tema, de preferência que vá ao encontro dos interesses e gostos do seu familiar.

Não encare a agressividade do idoso contra si como uma ofensa pessoal. Evite tornar-se defensivo e reativo. Fique calmo e aplique as técnicas de distração. Se mesmo assim o seu familiar continuar a ser agressivo, estabelece limites firmes, dizendo-lhe aquilo que não está disposto a tolerar.

Use música

Use a música como ferramenta. Vários estudos demonstram que a música é um excelente instrumento para acalmar os idosos. Cantar uma das canções favoritas do seu familiar o ou pôr a tocar um álbum que ele goste muito pode fazer maravilhas.



O que fazer quando o abuso não acaba?

Depois de tentar tudo para terminar com o agressividade por parte do idoso, a única solução que resta ao cuidador informal é abandonar o seu papel, de forma a preservar a sua saúde física e psicológica. Para alguns familiares é muito difícil tomar esta decisão. Uma mistura de fortes sentimentos de culpa, obrigação, esperança e amor faz com que estes permaneçam por tempo demais em situações de grande abuso.

O recurso a empresas de cuidados domiciliários ou a lares de idosos pode ser uma opção em situações críticas de agressividade. Muitas vezes o que acontece é que o idoso, ao passar a ser cuidado por um cuidador formal ou ao ser integrado numa residência assistida, deixa de ser agressivo com o seu familiar porque percebe que tudo na vida tem limites e que aquela pessoa não está mais disposta a aceitar ofensas e maus tratos.



​Procura Lares e Residências para Idosos?

Saiba se há vagas disponíveis | Ligue 939 667 800

Ao visitar o nosso site, aceita os cookies que usamos para melhorar a sua experiência de navegação. Pode ler a nossa politica de privacidade e cookies.

Ajuda?


Para saber preços e vagas?

Ligue 939 667 800