[Checklist] Como saber se o seu familiar idoso precisa de apoio?

Por Mariana Camargo , 24 de Fevereiro de 2022 Envelhecimento


A longevidade é cada vez mais um assunto em destaque, já que com os avanços da medicina, e a consciencialização de estilo de vida saudável, os idosos vivem cada vez mais e melhor. Entretanto, para que os idosos sejam assistidos da melhor forma é essencial que filhos e netos, familiares e amigos, tenham olhares mais atentos. Existem vários sinais de que os idosos podem estar a precisar de ajuda nas suas atividades do dia-a-dia.

As famílias precisam de estar alerta e informadas para conseguirem perceber estes sinais. A Lares Online é uma plataforma que procura facilitar sempre a melhor qualidade de vida das pessoas idosas. Por isso, este artigo abordará quais são os principais sinais de que os idosos precisam de ajuda para ajudar as famílias a agirem de forma rápida quando isso ocorrer. 



Idosos que coabitam também precisam de apoio


Um ponto que merece ser observado são os idosos que vivem juntos, como casais, amigos ou irmãos, e cuidam um do outro. Normalmente, os filhos preocupam-se mais com idosos que moram sós, e não têm os mesmos cuidados quando estes vivem em casal ou com outro idoso. Mas não é por viverem juntos que não envelhecem ou não incorrem em situações de potencial risco, seja para um seja para os dois e para a habitação.

Em geral, esse tipo de situação merece atenção redobrada por parte da família. O idoso que cuida de outro idoso pode sentir-se sobrecarregado e entrar em depressão ou burnout. Por outro lado, ao corrigir as falhas indicadas como sinais de alerta do outro, o idoso cuidador acaba por atrasar um possível tratamento, seja em situações de demência ou outras complicações de saúde. Estas falhas acabam por se ir agravando e não ser identificadas precocemente, o que dificulta depois o acompanhamento médico e a recuperação.



O seu familiar idoso não dará o alerta


Normalmente o idoso vai precisar de supervisão e apoio quando está com problemas na sua locomoção ou cognição e isso coloca-o em risco. Por exemplo, ele pode estar bem para tomar banho sozinho ou se vestir, mas já esqueceu a panela no fogão três vezes, o que coloca sua integridade física em risco. Filhos, netos, outros familiares ou mesmo amigos devem estar de olho na evolução destas ocorrências, mesmo que à distância.

Principalmente dado que muitos idosos insistem que estão bem, que conseguem cuidar de si, e infelizmente nem sempre é verdade. Deve estar atento a vários pontos para perceber se o idoso ainda se encontra bem a viver de forma independente ou se precisa de ajuda. Como o faz? Ao observar as habilidades necessárias para viver de maneira independente, como vestir-se, fazer compras, cozinhar, cuidar das medicações e despensa. Portanto, é preciso estar próximo para entender se alguma dessas situações está a ocorrer.



Como saber se o seu familiar idoso precisa de apoio? 


Se o seu familiar idoso passa a agir e a apresentar-se de forma diferente do que era habitual, é importante ficar em alerta. Por exemplo, dificuldade no autocuidado (higiene precária), alimentação inadequada (insuficiente ou exacerbada), comportamento desajustado (isolamento, apatia, extroversão demasiada), dificuldade com as finanças, descontrolo no acompanhamento da sua saúde... todos estes são sinais que podem apontar algum problema.



O idoso apresenta uma aparência descuidada

Quando se percebe uma grande mudança nos cuidados pessoais do seu familiar idoso, deve ficar em alerta. Por exemplo, reparou que o idoso não penteia o cabelo há dias ou não percebe quando foi a última vez que tomou banho. É importante conversar com o seu familiar sobre pormenores em que tenha reparado. Tente encontrar um motivo para tal. Pode ser um sinal de depressão, solidão ou perda de memória, por exemplo.



Percebe-se alguma perda de memória

Todos podemos ser esquecidos, especialmente à medida que envelhecemos. Mas, caso observe que o idoso se torna particularmente esquecido, é importante prestar atenção. Por exemplo, o seu familiar idoso sente dificuldade em lembrar-se de palavras comuns, ou não se lembra de tomar a sua medicação com frequência. Essa perda de memória pode ser então perigosa para a sua saúde e para que o idoso mantenha sua própria qualidade de vida ao morar sem supervisão de um profissional, por exemplo.



O idoso está sempre de mau humor

É normal que as pessoas idosas fiquem mal-humoradas de vez em quando. Mas, se estiverem constantemente de mau humor, é importante descobrir porquê. Se o seu familiar idoso anteriormente estava constantemente infeliz, converse com ele para perceber o que se passa. Pergunte-lhe o que o incomoda, e mantenha um canal de conversa sempre aberto. Desta forma, poderá perceber se é necessário marcar uma consulta com um especialista para ajudar o idoso a resolver algum problema. Se mesmo assim não perceber o que se passa, ou se o seu familiar idoso lhe disser que «não se passa nada», converse com o médico assistente. Pode haver um diagnóstico de algum problema cognitivo ou depressão que não esteja a ser seguido, sendo por isso perigoso para a saúde do idoso.



Há perda ou ganho de peso rapidamente

Este sinal de alerta poderá dever-se a diversos motivos. Observe outros sintomas relacionados. Por exemplo, é possível que o seu familiar idoso esteja triste: se estiver em baixo, talvez não lhe apeteça cozinhar. Ou talvez tenha perdido o apetite, ou simplesmente não se está a alimentar de forma adequada e com a rotina devida. Por outro lado, a falta de memória também pode fazê-lo esquecer que já se alimentou, e fazer uma refeição mais de uma vez, culminando num ganho de peso rápido. O idoso pode ter perdido a sua rotina, fazendo refeições feitas fora de horas e com quantidades excessivas antes de repousar, por exemplo.



O idoso sofre acidentes com frequência

Com o envelhecimento o tempo de reação do seu familiar idoso vai aumentar, o que pode aumentar a frequência de acidentes como queimaduras ou quedas. Como aumentam as probabilidades de quedas, e é fundamental dar atenção a isso, mesmo que o idoso diga que «não foi nada». O idoso pode precisar do apoio de uma bengala, por exemplo, já que este é uma ajuda técnica que pode ajudar muito a evitar quedas. Para além das ajudas técnicas, é importante seguir cada queda com uma visita ao médico assistente. O seu familiar idoso pode facilmente fraturar um osso ou magoar algum músculo, que deve ser acompanhado. Quedas frequentes podem ser sinal de comportamentos impensados, dificuldades de visão (verifique que os óculos do seu familiar idoso estão com a graduação atualizada) ou mesmo de falta de equilíbrio por outra condição subjacente.


A seguir, pode encontrar uma checklist do Lares Online para as próximas visitas que fizer ao idoso, esta vai ajudá-lo a perceber quando é a hora de agir e procurar uma ajuda especializada para o seu familiar idoso.


​Checklist Lares Online: Sinais de que o seu familiar idoso precisa de apoio


​Estes são alguns dos tópicos que são importantes de serem observados para perceber se o idoso precisa de ajuda nos seus cuidados quotidianos. A sua intervenção vai ser necessária a partir do momento em que os seus familiares idosos não conseguirem executar determinadas tarefas essenciais para a sua vida independente, saudável e segura. Se verificar que de facto o seu familiar idoso precisa de ajuda, contacte a Linha de Apoio Lares Online para informações sobre lares e residências de qualidade.​


​Encontre o apoio ideal para o seu familiar idoso

basta submeter um pedido ou ligar 939 667 800.

Ao visitar o nosso site, aceita os cookies que usamos para melhorar a sua experiência de navegação. Pode ler a nossa politica de privacidade e cookies.

Ajuda?

Atendimento urgente (+ 351) 939 667 800