6 Resoluções para o idoso entrar com o pé direito em 2020!

Por Joana Marques , 02 de Janeiro de 2020 Idosos


A  tradição de se pensar em resoluções de ano novo não deve ser abandonada à medida que os anos vão passando, mesmo que os objetivos propostos nunca sejam atingidos na sua plenitude. Aliás, é muito importante incentivar os mais idosos a pensar no que gostariam que fosse diferente no novo ano que se inicia, pois ter novas metas ou reforçar hábitos que se foram perdendo é fundamental para o bem-estar dos mais velhos. 


Ano Novo, Vida Nova! Quantas vezes dissemos ou ouvimos esta frase a partir do momento em que se começa a aproximar o fim de um ano? 



Quanto mais jovens somos, mais entusiasmados ficamos quando elaboramos listas com objetivos a cumprir no novo ano que se inicia: comer de forma mais saudável, fazer mais exercício físico, ser mais amigo do ambiente, dormir mais,  gastar menos, passar menos horas a trabalhar e ter mais tempo para a família.

É sabido que, à medida que os meses vão passando, é mais difícil mantermos-nos fiéis a esses propósitos, mas eles têm a vantagem de nos permitir manter presente aquilo que sabemos ser o melhor para nós próprios. Para os mais idosos não é diferente e dar sentido às suas vidas é uma excelente estratégia para os manter afastados de pensamentos depressivos ou de solidão, particularmente vincados nesta época festiva.


Para que servem as resoluções de Ano Novo?

O mês de dezembro é dos mais agitados do ano, pois nele se celebram duas das festividades mais esperadas e acarinhadas: o Natal e a Passagem de Ano. Muitos aproveitam o último mês do ano para fazer o balanço dos meses anteriores. É altura de refletir sobre o que foi mais ou menos positivo, agradecer dádivas e perdoar ofensas. Esta reflexão acaba por estar na base do que motiva a estabelecer resoluções de Ano Novo, ano após ano, mesmo que muitas nunca se concretizem.


Estabelecer metas é uma forma de manter a motivação no dia-a-dia. Ajude o idoso a estabelecer novos objetivos para que ele se sinta com vontade e energia para encarar mais um ano de vida.



É difícil ficar imune à vontade de fazer listas do que é possível fazer, alterar, parar ou aprender no ano seguinte. Esta é uma tradição que remonta à antiga Civilização dos Babilónios, que no início de cada ano faziam promessas aos vários deuses que adoravam. Presente também na Civilização Romana, sobreviveu até aos nossos dias como uma forma de auto-melhoramento e realização pessoal.



Ser realista na hora de fazer planos para o novo ano

Nunca devem ser feitas resoluções de Ano Novo que à partida são impossíveis de cumprir. Os objetivos a atingir devem ser ambiciosos, mas não irreais, pois o não cumprimento das resoluções pode dar origem a sentimentos de ansiedade, acompanhados da sensação de falhanço e de que não se é bom o suficiente.

Atualmente, existe uma grande pressão auto-imposta pelo melhoramento pessoal, que decorre dos vários estímulos exteriores que chegam através da publicidade e dos meios de comunicação social. 


Não se deixe condicionar pela busca da perfeição. Muito menos passar essa ideia ao idoso, colocando-o numa situação de ansiedade com a sugestão de que tem de cumprir todas as resoluções de Ano Novo. 



Cada um de nós deve ser realista quando define metas para o novo ano e ser racional quanto à gestão da grande expectativa que se gera em torno das 366 novas possibilidades que se avizinham. É esta a postura que deve adotar na altura em que incentivar o seu familiar ou amigo idoso a listar as metas para o ano seguinte, tendo em consideração que ele deve ter a capacidade, o tempo e os recursos necessários para a sua execução.

​Não deve propor resoluções como «passar mais tempo com o seu familiar idoso», ou «levá-lo a almoçar fora uma vez por semana», para depois deixar que o seu dia-a-dia varra estas ideias para debaixo do tapete, deixando o idoso triste e desapontado.


Ajudar o idoso a elaborar as suas resoluções de Ano Novo

O primeiro conselho que deve seguir é sugerir apenas o que pode ser alcançável pelo idoso e que não dê origem à autopunição porque determinada meta não está a ser alcançada. Lembre-se de que a ideia não é mudar o comportamento do idoso ou impor-lhe o que considera ser o melhor. Mais importante do que estabelecer uma meta ambiciosa, é definir um plano imediato que o idoso possa seguir desde logo. 


Qualquer mudança deve ser gradual, sem limite de tempo e não interferir com a rotina habitual do idoso.



O objetivo é manter o idoso motivado para o novo ano que se avizinha, encarando-o como um tempo de novas oportunidades e sentidos de vida. O idoso nunca se deve sentir mal ou culpado se a maior parte das resoluções forem sendo abandonadas ao longo do ano, mas sim motivado a fazer diferente para que se sinta mais feliz e enérgico! Veja as dicas que temos para si e para o seu familiar idoso.



6 Resoluções para o idoso começar em grande 2020

Os objetivos para o novo ano devem concentrar-se na melhoria da saúde do idoso em geral, tanto física como psicologicamente. Aproveite o tempo em família durante a época do Natal para falar com o seu familiar ou amigo idoso sobre as atividades de que gostava quando era mais novo e quais é que gostaria de recomeçar a fazer, dentro das suas possibilidades motoras e mentais.

Pergunte-lhe diretamente se ele se sente saudável, se precisa de passar mais tempo com a família (em especial com os netos) e se gostaria de contribuir de alguma maneira para a sua comunidade, ou seja, de se sentir mais útil e prestável.

Estes são bons pontos de partida para que elaborem uma lista racional e exequível em conjunto, tendo sempre em consideração se o idoso se sente confortável em abraçar alguma da incerteza que implica explorar novos caminhos.


1 - Fazer novos amigos ou reatar antigas amizades

Para os seniores, fazer novos amigos é um grande desafio, pois a maior parte das pessoas vai ficando mais desconfiada e vulnerável com a idade, pouco receptivas a dar confiança a desconhecidos. Ainda assim, incentive o idoso a conversar com outros seniores do bairro onde reside ou no lar onde está institucionalizado.

Façam uma lista de antigos amigos com os quais o idoso não entra em contato há algum tempo. Um adepto das novas tecnologias pode enviar um e-mail ou sms, ou optar por um telefonema ou um método mais tradicional, como enviar um postal ou uma carta. A criação de uma conta numa rede social pode ser um bom pretexto para introduzir o idoso às novas tecnologias e ensiná-lo a procurar os amigos e as pessoas próximas nas ferramentas de pesquisa.


2 - Explorar novas oportunidades

Introduzir pequenas novidades na rotina pode ser quanto baste para que o idoso se sinta mais animado. Conversem sobre a possibilidade de frequentar uma Universidade Sénior, fazer parte de um projeto de voluntariado ou de participar nas diversas atividades que Juntas de Freguesia e Câmaras Municipais organizam para os mais velhos, tanto podem ser passeios organizados ou outras atividades, como aprender informática ou uma língua estrangeira. Estas também são formas de criar laços com outros seniores, melhorar a autoestima e combater pensamentos negativos sobre o envelhecimento.



3 - Alimentar-se melhor e manter-se hidratado

Comer bem pode reduzir o risco de morte em cerca de 25%, pois a má alimentação está associada a doenças cardíacas, diabetes, obesidade e aumento da inflamação. Combine com o seu familiar ou amigo idoso ajudá-lo nas compras de supermercado e estabeleçam um plano alimentar equilibrado, rico em proteínas, vitaminas, fibras e hidratos de carbono de absorção lenta. 

Mesmo que o idoso esteja institucionalizado num lar, é importante que ele tenha consciência que se deve manter bem alimentado e hidratado. Uma resolução simples pode ser a de andar sempre com uma pequena garrafa de água para evitar estados de desidratação.


4 - Fazer caminhadas ou exercício regular

A prática de atividade física, em especial na terceira idade, melhora tudo: a tensão arterial, a tolerância à insulina, a glicemia, o colesterol, o peso e a inflamação. Motive o idoso a exercitar o seu corpo pelo menos 10 minutos por dia, sendo que o ideal é consultar um especialista para estabelecer um plano físico adequado às condições físicas e mentais existentes.

Um exemplo de uma resolução é sugerir que o idoso se levante várias vezes por dia e que se mexa ou caminhe um pouco.



5 - Dedicar-se a passatempos e desafiar o cérebro

Façam uma lista em conjunto dos passatempos preferidos do idoso e conversem sobre as razões que o levaram a abandonar essas atividades (razões físicas ou psicológicas). Existem muitas formas agradáveis de passar o tempo e que permitem que o sénior se sinta útil e ativo, como por exemplo, a pesca, a jardinagem, a pintura, a fotografia, a costura, entre outros. Mobilize amigos e familiares para que ajudem o idoso a executar o seu passatempo favorito, especialmente os netos, pois o contato intergeracional é muito rico e gratificante.

Existem também outras formas de ocupar o tempo, ao mesmo tempo que o cérebro do idoso é desafiado. Sugira que crie o hábito de jogar xadrez, damas ou cartas com os amigos. Outra hipótese é comprometer-se a fazer atividades cognitivas que ajudem a combater a perda progressiva de memória e capacidade de raciocínio.



6 - Estar atento à saúde

É frequente o idoso só se queixar de algum mal-estar ou dor quando a situação se torna insuportável. A viver sozinho ou num lar, é fundamental que o idoso se consciencialize de que é essencial estar atento à sua saúde. Combinem um check-up anual ou elaborem uma resolução no sentido de o idoso ser mais proativo com a sua saúde e não deixar de comunicar pequenas queixas (físicas ou mentais) à família ou aos funcionários do lar.

Uma boa resolução é estabelecer que relatar um sintoma ou uma dor não é dar trabalho aos outros, mas sim uma forma de estar presente durante mais anos. Quanto mais cedo se intervir em questões médicas, maiores são as probabilidades de o idoso viver uma vida mais plena e saudável.

Estas são apenas algumas sugestões. Adapte-as às circunstâncias do seu familiar ou amigo idoso e mesmo que ele só se comprometa com uma resolução já é motivação suficiente para que o novo ano seja encarado com maior otimismo!


​​Procura Lares e Residências para Idosos?

Saiba se há vagas disponíveis | Ligue 939 667 800

Ao visitar o nosso site, aceita os cookies que usamos para melhorar a sua experiência de navegação. Pode ler a nossa politica de privacidade e cookies.

Ajuda?

(+ 351) 939 667 800