Guia dos profissionais que cuidam do idoso em lar

Por Sónia Domingues , 08 de Junho de 2021 Lares e Residências


Do diretor técnico até ao empregado auxiliar, existe uma diversidade de profissionais que estão incumbidos de garantir todos os cuidados ao idoso que reside no lar e todos eles se revestem de grande importância. A lei portuguesa é muito específica para garantir que todos os lares tenham integradas, no seu quadro, as diversas profissões que são necessárias para o cuidado pleno ao idoso. Estes são os principais profissionais que devem estar num lar de idosos e que cuidam mais diretamente do bem-estar dos seus residentes.



Diretor Técnico: garante da qualidade de vida do residente


Comecemos então pelo diretor técnico. O profissional, que terá de ter formação superior para ocupar o cargo, deve coordenar toda a equipa, programar as atividades sociais, culturais, desportivas e ocupacionais a realizar no lar e também desenvolver ações de sensibilização para com a pessoa idosa.


Cabe ao diretor técnico a tarefa de assegurar o bom funcionamento do lar e supervisionar todos os outros profissionais.



Para Telma Carvalho, diretora técnica do Palace Persona Senior Residence, em Rio Maior,  «o segredo de um bom diretor técnico não é apenas pôr em prática todas as leis a que nos sujeitamos, é sobretudo percebermos se as pessoas que estão connosco se sentem bem e felizes». 

A diretora técnica aponta a resiliência, capacidade técnica, espírito de liderança democrática, empatia, e humildade como características essenciais para exercer a liderança de uma residência sénior.



Animador Sociocultural: promotor do envelhecimento ativo


O animador sociocultural é o responsável por realizar diversas atividades culturais, desportivas e recreativas e adequadas à condição física e mental do idoso.

O animador sociocultural é o profissional qualificado que promove o desenvolvimento sociocultural da comunidade residente no lar, organizando, coordenando ou desenvolvendo atividades de animação de carácter cultural, educativo, social, lúdico e recreativo.


O animador é perito em presentear o idoso com alegria e boa disposição, e desenvolver atividades que levem à socialização do idoso com os restantes residentes.



Existe até um lar, em Ílhavo, que é conhecido em todo o mundo pela alegria que proporciona aos seus residentes. Trata-se do Centro Comunitário da Gafanha do Carmo, que tem uma abordagem criativa à terceira idade, e que tem um lema que os identifica: «Multiplicar a felicidade, dividindo-a».



Enfermeiro: guardião da saúde

Outro profissional que é elementar ao bom funcionamento do lar, é o enfermeiro. Florence Nightingale, nascida em 1820, em Itália, cedo emigrou com os seus pais para o Reino Unido e acabou por escolher a enfermeira por profissão. Responsável pela abertura da primeira Escola de Enfermagem em Londres, dizia que « A enfermagem é uma arte e para realizá-la como arte, requer uma devoção tão exclusiva, um preparo tão rigoroso, quanto a obra de qualquer pintor ou escultor».


O enfermeiro articula sempre os cuidados do idoso com a prescrição do médico do lar ou de família, dando medicação e avaliando a saúde geral dos idosos residentes.



O enfermeiro é responsável por dar a medicação ao idoso, fazer pensos, dar injetáveis e avaliar o estado de saúde geral dos residentes idosos. Os lares terão de ter um enfermeiro por cada vinte residentes, uma norma que também está vertida na lei. O enfermeiro faz a avaliação geral, e, caso se justifique, chama o médico.

Ajudante de ação direta: suporte do cuidado e bem estar


O ajudante de ação direta é uma peça fundamental dentro de um lar de idosos, tanto assim é, que a lei impõe um ajudante para cada cinco residentes. Idealmente, estes profissionais devem ter o curso de auxiliar de geriatria, mas poderão ser formados internamente no lar.


O ajudante de ação direta é multifacetado, a ele compete a tarefa de prestar cuidados de higiene e alimentação, e colaborar nas tarefas de limpeza.



Este profissional deverá ainda auxiliar a equipa de enfermagem, acompanhar os idosos quando estes se têm de deslocar a outros locais, e também deverá participar na organização das atividades recreativas dos idosos residentes.



Empregado auxiliar: conforto e higiene dos espaços


O empregado auxiliar tem a seu cargo a limpeza dos diversos espaços e quartos, e não é uma tarefa de somenos importância. Sobre ele recaem responsabilidades que, agora com a pandemia, se tornaram mais evidentes. O estado de saúde do idoso é, por norma, frágil, e os germes e vírus pululam por todas as superfícies. 


Uma coisa que a pandemia Covid-19 fez foi chamar a atenção para a necessidade de limpeza e desinfeção adequada, atenta e mais frequente.



São os cuidados de limpeza e desinfeção que impedem que um espaço comum, se torne num viveiro para os germes e vírus se multiplicarem e contaminar os idosos que se movem naquele ambiente, inconscientes dos perigos.



Cozinheiro: a nutrição e o prazer 


Uma alimentação saudável e equilibrada, rica em vitaminas e minerais, é especialmente benéfica para os mais frágeis. O idoso residente nos lares, por vezes, tem vários problemas de saúde associados, que o impedem de comer determinados alimentos ou condimentos, como o sal. 


«Alimentar é cuidar», sobretudo para quem necessita de uma dieta particularmente específica, que pode ser a diferença entre viver mais anos ou ficar cada vez mais debilitado.



Ao profissional da cozinha, cabe a nobre tarefa de elaborar as ementas conforme as recomendações médicas, assegurando que o residente idoso tenha à sua disposição refeições saborosas e saudáveis e específicas para as suas necessidades.


​A alimentação saudável pode garantir ao idoso uma maior energia, pode prevenir doenças infeciosas, também tem efeitos positivos nas doenças crónicas, e pode melhorar a qualidade do sono, o que poderá significar eventualmente a menor dependência de medicamentos para controlo do sono.



[Opcional] Gerontólogo: especialista da terceira idade


Embora ainda não seja obrigatório por lei, o gerontólogo é um profissional licenciado em Gerontologia, uma área de estudos que investiga o fenómeno do envelhecimento nas suas diversas vertentes: biológica, psicológica e social.

Para Betty Freidan, uma influente ativista feminista do século XX, que faleceu com 85 anos, em 2006, 


«O envelhecimento não é juventude perdida, mas uma nova etapa de oportunidade e força», e isso procura o gerontólogo.



​É desta nova oportunidade que trata o gerontólogo. Cada pessoa envelhece de uma forma muito particular, e este perfil tem de ser estudado, analisado e avaliado pelo gerontólogo. Após essa avaliação, o profissional procura implementar uma série de medidas para que a pessoa idosa em causa tenha um envelhecimento mais moderado, e vivido da melhor forma possível.

O gerontólogo pode trabalhar diretamente com as famílias, ou poderá orientar os profissionais ligados à terceira idade para que estes tenham as ferramentas necessárias para tratar do idoso nas melhores condições.


Poderá estar num cargo de gestão do lar: tem um conhecimento profundo e estudado do idoso, poderá compreender melhor as suas necessidades.



​No fundo, um gerontólogo é um profundo conhecedor da condição humana na terceira idade, e, sendo um campo de estudo e um curso relativamente recente, torna-se cada vez mais relevante e primordial que este profissional integre a equipa de profissionais que legalmente têm de fazer parte do quadro dos profissionais dos lares de idosos.



Procura lar com profissionais aptos? 

basta submeter um pedido ou ligar 939 667 800.

Ao visitar o nosso site, aceita os cookies que usamos para melhorar a sua experiência de navegação. Pode ler a nossa politica de privacidade e cookies.

Aide?

 

(+ 351) 939 667 800